Edital do Fundo Baobá selecionou 350 projetos em todo o Brasil para apoiar ações de combate à contaminação pelo coronavírus

Baobá

16/06/2020

Milhares de famílias foram beneficiadas direta e indiretamente pelo edital do Fundo Baobá para viabilizar ações preventivas de combate ao coronavírus nas comunidades vulneráveis. Durante os 12 dias em que permaneceu aberto, foram recebidas 1037 solicitações de apoio. Nas três listas divulgadas, o Baobá selecionou ao todo 350 projetos – sendo 215 de indivíduos e 135 de organizações.

Das 135 organizações que receberam o apoio do Baobá, a mais antiga é de 1938, enquanto a mais nova foi fundada em 2020. Em relação ao perfil da coordenação, 74 organizações têm na sua composição mulheres como maioria, enquanto 49 possuem um equilíbrio entre homens e mulheres. Sobre a composição racial, 77 organizações apoiadas são de maioria negra, enquanto 37 têm um equilíbrio entre pessoas negras e não negras. A seleção levou em conta detalhes, pois todas as que se inscreveram são extremamente atuantes em suas regiões e desempenham papel importante no empoderamento das pessoas – sobretudo neste momento de pandemia.

Entre os 215 indivíduos selecionados, 195 são negros e 10 são indígenas. Entre eles, há 139 mulheres e 75 homens. O estado com mais apoiados selecionados foi o Rio de Janeiro, com 49 indivíduos, seguido por Bahia (39) e São Paulo (24).

Entre as iniciativas escolhidas havia da produção de sabão caseiro e entrega de kits básicos de higiene e álcool gel à confecção de máscaras para agentes de saúde, passando por apoio terapêutico e psicológico, além de orientação no cuidado de recém-nascidos, deixando-os menos expostos à doença.

Projetos como o de produção e tradução em línguas indígenas e ações com haitianos, tendo como foco a educação em saúde, com prevenção de riscos, como preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS), também se destacaram. Moradores de rua, prostitutas, indígenas, quilombolas e projetos de regiões distantes de todo o país foram contemplados, pois o edital não se restringiu aos grandes centros.  

“Pandemias agravam desigualdades pré-existentes, como a dificuldade de acesso a insumos de prevenção, informações certas e serviços da saúde. Então, iniciativas que olhem para especificidades e ajudem a transformar essa realidade são essenciais”, explica Selma Moreira, diretora-executiva do Fundo Baobá.

As doações emergenciais foram de R$ 2,5 mil. Foram divulgadas três listas em um espaço de tempo de menos de 30 dias. De forma geral, os selecionados aguardaram em média 15 (quinze)  dias para o valor ser creditado nas contas correntes indicadas no ato da submissão ao edital. “Em função da urgência e da necessidade de apoio às comunidades, o Fundo Baobá viabilizou o repasse em tempo recorde”, afirma Selma.




« Voltar





Apoios:
Rede de Filantropia para Justiça Social
contato@redefilantropia.org.br


Licença Creative Commons
O trabalho Rede de Filantropia para a Justiça Social de Rede de Filantropia para a Justiça Social está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não-Comercial 4.0 Internacional. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em www.redefilantropia.org.br